sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

O início

Olá!


Fiz esse blog com o intuito de documentar e informar o tratamento que dei início para retirar as cicatrizes pós-acne. O intuito é devolver o rosto que eu tinha quando nasci. Um rosto sem cicatrizes que há muito tempo eu não vejo no espelho. Tenho 28 anos  e foi com 9 anos que a primeira espinha surgiu no meu rosto. É claro que nessa idade eram poucas e apenas uma ou duas esporadicamente. Com o avanço da adolescência a situação só piorou. As pessoas costumam dizer que acne é besteira, e que se preocupar com isso é futilidade. Grande erro. 


A Acne é uma doença de predisposição genética, e o grau de manifestação depende muito dos hormônios sexuais de cada um, e precisa ser tratada. Existem diferentes graus, deixo aqui um ótimo link para quem quiser se aprofundar no assunto. As implicações psicológicas que a acne traz junto com ela também são importantes de se analisar. No meu caso, não tive o pior grau de acne, de 1 até 5 digamos que nos piores momentos cheguei ao grau 3. Mas só quem tem acne deste nível em diante sabe o que significa ter vários pontos vermelhos e de pus em seu rosto, e as pessoas olhando pra você achando tudo aquilo muito nojento. 


Nunca deixei de sair e nem de fazer nada por conta das espinhas, e procurei não me traumatizar muito com isso, eu colocava na minha cabeça que um dia elas iam acabar. E se lhe serve de conselho, ao invés de se trancar e evitar as pessoas, busque o tratamento. Na minha época os médicos não costumavam receitar anti-inflamatórios ou o próprio Roacutan, remédio bastante conhecido para cuidar desse problema. Tentavam cremes e remédios sem fim, depois do terceiro tratamento sem sucesso eu desisti, e esperei a idade chegar. Hoje, os médicos passam logo o Roacutan pra resolver o problema, e o SUS oferece o remédio, já que é extremamente caro. Se informe com seu médico.


18, 19 e 20 anos


Escolhi umas fotos pra ter noção de como era o meu rosto naquela época, dos 12 até os 22 anos foram os piores. Posso dizer que tive momentos em que a pele estava bem pior do que está aí, mas de todas as fotos que tenho aqui em casa, só encontrei essas três fotos acima. O que é bem compreensível, é bem óbvio que eu odiava tirar qualquer foto, e não encontrei uma sequer de quando eu tinha 12.. 15 anos... Depois disso o rosto foi melhorando e o que restaram foram as cicatrizes, mais profundas e em maior número na área das bochechas. 

23 anos em 2006
Com 23 anos o rosto já estava assim: apenas pequenos pontos avermelhados e as cicatrizes.

28 anos em 2011
Aos 28 anos é possível encontrar o meu rosto assim, sem nenhuma espinha e com cicatrizes que nessa foto passam bem despercebidas.

Quando consegui essa melhora, corri para a dermatologista em busca de algum tratamento, até por que eu já estava com 28 anos, e vez ou outra saíam algumas espinhas grandes e inflamadas, não na mesma quantidade de antes. Foi aí que tudo começou. Procurei uma médica que possui também uma clínica de estética, por indicação de uma pessoa conhecida. Na primeira consulta ela avaliou e constatou que haviam cicatrizes muito profundas, e apenas o uso do ácido como muitas pessoas fazem para manchas e acne não seria suficiente. Definiu o tratamento com ácido, laser e peeling e começou com o laser, sendo definidas três sessões para começar. Depois disso ela iria analisar e dar continuidade ao que fosse necessário. 

No próximo post colocarei mais fotos e explicarei o procedimento do laser. Até mais!



Nenhum comentário:

Postar um comentário