sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Ignorância é uma dádiva...

Triste, completamente triste... Fico pensando no que todas as pessoas que me dizem que Deus isso, que Deus aquilo vão me dizer, quando chegar o fim dos meus dias e nada do que elas dizem que Deus vai fazer na minha vida acontecer... Vai ser o de sempre: "Mas foi a vontade de Deus, e Ele quis assim." Mas ué? Antes, Ele não iria fazer um milagre? Mas o que aconteceu...? Não é mais vontade dele? Ele desistiu...

Faz tempo que eu não venho aqui... Foi muita coisa acontecendo, após 1 mês de internação da minha mãe no hospital, ela fez um transplante e foi mais 1 mês internada. Sim, ela está bem e vai assim prosseguir, com o curso da vida... Se houvesse uma definição de felicidade em relação a isso, seria eu. Quanto a mim, já não posso dizer o mesmo. Embora, esteja livre do CA. Já estou com os exames da próxima revisão em mãos. Raio-X do tórax, ok. Sem metástases. O marcador tumoral o CEA, também está ok, até diminuiu, o anterior foi 1.5,  e agora deu 0.3 ng/ml.

O mesmo não posso dizer sobre os exames hormonais, aqueles que me permitiriam seguir o curso normal da vida, e não virar uma idosa de 80 anos. É passei de 60 pra 80, pelo resultado do exame, na verdade, acho que já morri. O estradiol, hormônio produzido pelos ovários continua no mesmo valor, 5.0, valor de pós-menopausa. O FSH, aumentou, foi de 138, para 154, sendo a pós-menopausa de 31 a 134. Eu até acho que poderei ter um filho... Com muito esforço, e muito dinheiro diga-se de passagem, por que o tratamento que terei que fazer custa muito caro, muito caro mesmo, principalmente se eu recorrer a um banco de óvulos... E com muito esforço e mais dinheiro ainda, à base de remédios, conseguirei ter alguma vida sexual.

Pra qualquer um, isso pode, sei lá, não significar nada, ou ser apenas alguns obstáculos (os que já existem, e já passaram, não são suficientes, óbvio...). Mas, nada tem me deixado tão triste, quanto esta situação. Me penalizo por pensar muitas vezes, por que eu não morri. A vida tem sempre que ser tão dolorida, assim? Sim, eu sei que se eu sofro, é por que eu escolhi sofrer, e a gente pode escolher sempre não fazer com que essas coisas sejam tão dolorosas assim... Mas eu preciso dizer que é.

Minha vontade neste momento, era não entender de nada, ser mais uma leiga, e pensar que esses exames não dizem nada. Que eu vou ter filhos, que eu vou casar e ser feliz. Saber demais, ler, pesquisar é mesmo um veneno. E meu maior defeito.

Meu cabelo está horrível, minha pele está horrível... Reflexos da ausência do estradiol.... Pra entender um pouco do que a ausência desse hormônio causa na minha vida aos 30 anos, além da "beleza dos meus cabelos ou pele", acaba com o fluxo de sangue arterial dos vasos sanguíneos, acelerada perda de massa óssea, ou seja osteoporose e osteopenia precoces, afeta a produção de diversas proteínas no fígado e proteínas responsáveis pela coagulação do sangue, desproteção de funções cerebrais como a memória, saúde mental humor e bem-estar,  além, é óbvio, das desordens de natureza reprodutiva e sexual. Meus hormônios querem que meu corpo de 30 anos repouse e envelheça como se ele já tivesse cumprido o que veio ao mundo pra fazer. E meu corpo de 30 anos tenta dizer que ele ainda tem mais 30 pra viver e não quer repousar, assim ele fatiga, e luta contra si mesmo...

Acho que a parte da saúde mental tá completamente afetada, por que não consigo ser otimista mesmo. Embora, eu me conheça, daqui uns dias estarei esperançosa novamente, até por que eu vou fazer o que? Me jogar de um prédio? Se houvesse outra solução além de me tratar como as senhoras idosas se tratam para ter uma qualidade de vida melhor durante a velhice, eu faria, mas não vejo outra alternativa além de ficar muito triste com o que a vida me reservou...

Estou triste, estou triste e estou triste, e sim eu tenho esse direito. É Deus, estou com raiva, de novo, tá? E obrigada pela atenção.

Aprendendo com Calvin...


Um comentário:

  1. Milena, tudo que li no seu blog é a descrição de todo o sentimento que também estou passando, não é fácil receber esse diagnóstico é muito doloroso, ainda mais na nossa idade e com vida bastante ativa, apesar de algumas vezes me perguntar pq eu? tenho muita fé em Deus que tudo isso vai passar e a cura chegará logo!
    Um abraço!

    ResponderExcluir